Tango em Buenos Aires

O tango é um gênero musical rioplatense por excelência, uma dança de casal, e um verso lunfardo11 em essência, de natureza urbana e dos arredores e de raiz africana.

Seu passo de “dos por cuatro” determina um ritmo marcado e interpretado pela “Orquestra Típica” e/ou “Sexteto” com diversos instrumentos, com predomínio da bandoneón – gaita do tango, característico e que não pode ser substituído sem perder o sentido.

Tem a sua origem em meados do século XIX com características próprias e definidas e vai sofrendo um processo constante de renovação incorporando a dança que persiste como tal, o acompanhamento vocal (canto individual) e a poesia também característica originariamente lunfarda e hoje depurada de quase todo jargão.

Paralela a essa renovação que foi promovendo a incorporação de novos elementos enriquecedores, houve outras transformações destacadas: a criatividade de um músico singular, Astor Piazzolla, que lhe outorgou caráter sinfônico a uma manifestação artística popular, embora proteja os seus passos típicos e o seu espírito original e nostálgico.

A coreografia de dança é complexa e voluptuosa: consiste no entrelaçamento de um homem e uma mulher - coordenação passional de passos, braços, pernas e sentimento no abraço e nos “cortes y quebradas”12.

O canto é individual e em vozes de ambos os sexos.

As letras acompanham a cadência rítmica e na maioria evocam o amor, a tristeza, a traição e a melancolia.

Algumas definições exemplares

Muitos homens conhecedores de letras definiram em frases condensadas, mas também cheias de sentido, o espírito do tango.

Ernesto Sábato - escritor, novelista- disse que o tango era carne de drama: tristeza, descontentamento, frustração, nostalgia e até rancor. Enrique Santos Discépolo - poeta e letrista de tangos-, pensa que o tango é “Um pensamento triste que se dança”.
Enquanto que Jorge Luis Borges - escritor, poeta e autor de contos - afirmou: “Poderia se dizer que sem entardeceres e noites de Buenos Aires não é possível fazer tango...”

O tango e suas manifestações constituem o folclore urbano melhor definido; por isso é inevitável uma aproximação a ele na aventura de um passeio pela cidade de Buenos Aires.

Guia de Milonga – dança

A que hora
A pista da milonga é compartilhada com muitos casais. Para dançar confortável sem chocar com ouros casais, tem duas alternativas: chegar cedo ou ir embora tarde.

Que tenho que levar
É indispensável levar alguns dos seguintes elementos básicos

Kit tanguero
Camiseta ou camisa (para trocar); gomina13, para retocar; um par de meias (ou mais); maquiagem (para retocar); sapatos de dança (sacola de sapatos); sapatos sem tacão (para descansar); talco para as solas do sapato (para não escorregar).

Dicas para o homem: como convidar uma mulher para dançar
O milonguero14 pode escolher entre duas opções:
- O convite com movimento de cabeça. O homem e a mulher se observam e só se a mulher mantém a mirada, ele move sutilmente a sua cabeça para o lado.
- É o método mais arriscado: o milonguero vai até a mesa da eleita e convida ela para dançar.

Dicas para a mulher. Como fazer para ser convidada a dançar.
Primeiro, tem que pôr os sapatos.
Depois se sentar olhando para pista, com as pernas em direção ao corredor para que o homem desprevenido e que passar caminhando tropeçar com o pé dela. Assim se produz o encontro (e o convite).

 

Seguinos en:     365 Buenos Aires 365 Buenos Aires 365 Buenos Aires RSS
Reservar en Eco Pampa Hostel
Fecha de ingreso:  
Fecha de salida:  
Turismo y alojamiento en Argentina
Turismo y alojamiento en Patagonia
Turismo en el Litoral Argentino
Turismo y alojamiento en el Norte Argentino
Términos y condiciones de uso  -  Política de privacidad